AMARANTE

ESPORTES

Confiança dá fim a jejum e deixa Vila Nova próximo ao Z4 da Série B

Publicado em

ESPORTES


Depois de quatro jogos sem vencer, o Confiança se reabilitou na Série B do Campeonato Brasileiro. Nesta terça-feira (22), o Dragão superou o Vila Nova por 1 a 0 no Batistão, em Aracaju, na abertura da sexta rodada da competição.

O clube proletário foi a sete pontos, deixando a zona de rebaixamento e subindo provisoriamente para o 11º lugar, podendo mudar de posição no desenrolar da semana. O Tigrão perdeu pela terceira vez consecutiva e segue com cinco pontos, caindo para 16º. Se Avaí ou Cruzeiro pontuarem, os goianos terminam a rodada no Z4.

O gol da vitória sergipana saiu aos 26 minutos do primeiro tempo. O meia Daniel Penha cruzou pela direita e o volante Serginho, na pequena área, desviou para as redes.

Os compromissos de ambos pela sétima rodada da Série B serão nesta sexta-feira (25), às 21h30 (horário de Brasília). O Confiança visita o Operário no estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa (PR). O Vila Nova tem o clássico contra o Goiás no estádio Onésio Brasileiro Alvarenga, em Goiânia.

Em outro duelo da tarde desta terça pela segunda divisão, Brusque e Sampaio Corrêa não saíram do zero no estádio Augusto Bauer, em Brusque (SC). Os times ocupam temporariamente um lugar no G4, mas podem cair posições na sequência da sexta rodada. O Quadricolor é o terceiro, com dez pontos, seguido pela Bolívia Querida, que aparece em quarto, com nove pontos.

Leia Também:  Dupla pede dispensa do pré-olímpico de basquete e frustra técnico

Os dois clubes duelam com rivais cariocas na sétima rodada. No sábado (26), o Sampaio recebe o Botafogo no Castelão, em São Luís, às 16h30. No domingo, às 21h, tem Vasco e Brusque em São Januário, no Rio de Janeiro.

Edição: Lílian Beraldo

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ESPORTES

Tóquio: Simone Biles fatura bronze na trave no retorno à competição

Publicados

em


A ginasta norte-americana Simone Biles fez um retorno destemido à competição nesta terça-feira (3), fechando a tumultuada Olimpíada de Tóquio com a medalha de bronze na trave de equilíbrio.

O ouro no último aparelho do programa de ginástica artística feminina foi para a chinesa Guan Chenchen com uma pontuação de 14,633 e a prata para sua compatriota Tang Xijing, mas foi Biles quem chamou a atenção por seu corajoso retorno.

“Fiquei orgulhosa de mim mesma por ter ido lá depois do que passei”, disse Biles, que chegou a Tóquio com quatro ouros e um bronze no Rio há cinco anos.”Este é definitivamente mais doce. Vou valorizar muito mais este depois de tudo que passei.”

A brasileira Flávia Saraiva teve uma falha logo no começo da apresentação e terminou em sétimo lugar com a nota 13,133.

Leia Também:  Pedro brilha, Flamengo bate Athletico e prossegue na Copa do Brasil

Biles, três vezes campeã mundial na trave, terminou com o bronze, mas o resultado foi considerado uma vitória depois dos dramáticos Jogos de Tóquio, nos quais ela abandonou abruptamente a competição por equipes na última terça-feira (27 de julho), após realizar apenas um salto, alegando problemas de saúde mental.

A ginasta de 24 anos foi para Tóquio em busca de um recorde de seis medalhas de ouro, o que a tornaria a atleta olímpica mais bem-sucedida de todos os tempos em qualquer esporte, mas em vez disso sofreu uma crise de confiança que a levou a desistir da maioria das finais – individual geral, salto, barras assimétricas e solo.

Biles, que ganhou quatro medalhas de ouro na Olimpíada Rio 2016, explicou mais tarde que estava lidando com twisties –um tipo de bloqueio mental em que as ginastas ficam desorientadas durante suas sequências que desafiam a gravidade.

Se havia qualquer apreensão ou pressão, isso não apareceu quando uma Biles relaxada mandou beijos para as câmeras de televisão enquanto entrava na arena para mais uma chance de medalha.

Leia Também:  Coluna - Favoritos não têm do que reclamar na Copa do Brasil

Seu desempenho na trave claramente não foi o esperado para uma ginasta considerada a maior de todos os tempos, mas foi destemido na execução.

Quando o placar final apareceu, Biles comemorou abraçando sua companheira de equipe Sunisa Lee, que conquistou o ouro no individual geral, à frente da brasileira Rebeca Andrade, que levou a prata.

O bronze na trave foi a segunda medalha que Biles conquistou nos Jogos de Tóquio, juntamente com a prata que levou no evento por equipes. As duas medalhas elevam seu total olímpico para sete.

* Reportagem adicional de Chang-Ran Kim

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

PIAUÍ

POLÍCIA

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA