3:11 pm - sexta-feira novembro 22, 4819

Mulheres recebem curso de aprimoramento do caju na comunidade 2 Coqueiros, em Amarante

Edição e postagem: Denison Duarte, em 27-10-2014 18:00 | Última modificação: 27-10-2014 18:04
Hospital de Olhos

A Associação Grupo de Mulheres Boa Esperança, da comunidade Dois Coqueiros, participou de um curso de aprimoramento do caju, com integração de membros de várias localidades rurais de Amarante.

O evento foi uma capacitação com duração de três dias. O encerramento aconteceu neste sábado, 25.

“Minha maior satisfação é ver a determinação das companheiras que acreditaram no seu potencial”, disse a presidente da Associação, Maria do Carmo Alves de Sousa Miranda. “Hoje, é como se estivessem com a sensação do dever cumprido”, completa.

Em entrevista ao Portal Somos Notícia, a instrutora Teresinha Betinalva Lima de Góis, do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) avaliou como positiva a participação das mulheres.

“A expectativa delas é a melhor possível. Elas tinham a experiência, mas não tinham um padrão de qualidade. O que hoje fazem, é como cheque na mão”, afirma a instrutora.

O Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR), de Amarante, esteve presente no encerramento do evento, representado pelo secretário geral, Leomar Duarte. A sindicalista Luíza Neta também participou do encerramento da capacitação.

“Este momento deixa bem claro o potencial produtivo que temos em Amarante. São pessoas que sabem fazer, mas que precisam do acompanhamento, da assistência integral até a comercialização de tudo o que é produzido”, afirmou a sindicalista Luíza Neta.

Para o secretário geral do STR, essa assistência contínua é o que possibilita a padronização da produção. “Não há como se pensar em um projeto de continuidade se não for através de uma assistência continuada dessa produção. Por outro lado, é de suma importância que estejamos por perto acompanhando toda a produção auxiliando na criação de meios para a saída desses derivados”, considera.

“Elas já tem uma microempresa e estão indo muito bem. O que falta é esse incentivo, e até mesmo um apoio do município”, completa a instrutora Francisca Betinalva.

Com a capacitação, as integrantes aprenderam a produzir derivados do caju como doces, vinho, fibra em carne para preparo de pratos, a cajuína, entre outros.

Ao final, um almoço preparado apenas com derivados do caju foi servido às participantes da capacitação, membros da comunidade e convidados.

Edição e postagem: Denison Duarte
Fotos: Leomar Duarte

1900015_779810412083279_5677477272029663120_n 10689939_779809965416657_7337900670281426471_n 1621676_779810162083304_1591080257417566992_n 10628117_779810258749961_170128986837341406_n 10675651_779810742083246_6895536277898605968_n 10711092_779811435416510_1110580896776444987_n 10312348_779811372083183_2218110989270377453_n 16128_779811162083204_5758107525648819535_n 10712748_779811308749856_3032229889972938858_n 9448_779811512083169_7874099957421196278_n 10702169_779811675416486_845793226001845918_n 10689439_779811798749807_2718017055346461350_n 1779687_779811962083124_6500040898996987890_n 1919617_779812412083079_3104764032401863668_n 10561788_779812505416403_7149035895898011246_n 10615512_779812768749710_7902589014500411253_n 10374512_779813362082984_6597915168288648977_n 1471917_779813442082976_7063922029037734734_n 10473777_779813295416324_2829238408080014232_n 10384896_779813572082963_2545984132095433594_n 10593065_779813465416307_8369564956448363840_n 10641036_779813638749623_4225694194059257348_n

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE