Menu...

22 de junho de 2018

Fetraf-PI inicia projeto-piloto em Amarante para formação de agricultores de comunidades rurais


Hospital de Olhos

Assentados da zona rural de Amarante estiveram na Câmara de Vereadores na tarde deste domingo, 19, participando de um encontro com representantes da Federação dos Trabalhadores em Agricultura Familiar (Fetraf) do Brasil.

O foco do evento foi a orientação aos moradores acerca da implantação do projeto de formação de agricultores rurais por meio de ações de melhoria de vida voltadas tanto às comunidades tradicionais quanto às áreas de assentamentos.

O projeto será executado em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). Além de promover acesso à terra, a ação será capaz de prover investimentos básicos e produtivos à zona rural do município.

Amarante foi selecionado para instalação do projeto-piloto. “Hoje a gente veio para consolidar o projeto com os agricultores, que são os nossos maiores parceiros. Eu estou vendo com ânimo o desejo dos assentados de Amarante na execução desse primeiro passo”, afirmou Francisco Sousa, presidente da Fetraf Piauí.

Uma das maiores dificuldades, segundo o presidente, é a ausência do Poder Público na execução dos projetos. Durante o evento não havia sequer um representante da Prefeitura Municipal de Amarante. “Não se faz um trabalho de desenvolvimento sem alguns atores como a prefeitura, Emater, Poder Legislativo, cooperativas e conselhos municipais. Esses parceiros são essenciais para a construção de propostas de desenvolvimento”, disse ele.

O primeiro momento do projeto, de acordo com a equipe, é saber o que pensam os moradores dessas comunidades, a partir do tipo de cultura, produção, processo de melhoria e escoação de tudo o que é produzido no campo. “Esse é um dos caminhos que a gente vai trabalhar, tudo isso sem explorar o mercado em si”, conclui o presidente Francisco Sousa.

Questionado acerca da dificuldade de comercialização da cajuína produzida na comunidade Ararinha, o que se repete ano após ano, Francisco Sousa foi incisivo ao dizer que o Poder Público Municipal é responsável pela maior parte do insucesso dos produtores. “O Poder Público Municipal é um dos principais atores nessa discussão. A agricultura, para chegar ao mercado, precisa ter garantia. No caso da cajuína de Amarante, falta o selo de inspeção municipal criado pela prefeitura. Se não houver o selo, ninguém compra! O presidente da Cajuespi vai estar em Amarante para resolver definitivamente o problema da cajuína”, encerra.

Quanto ao projeto, o próximo passo é o encaminhamento da documentação das comunidades aos setores municipais e demais parceiros para a criação da comissão de campo, que vai definir o perfil dos produtores assentados e das comunidades de Amarante.

Dentre outros assuntos discutidos durante o encontro, o assessor jurídico da Fetraf – Carlos Alberto, prestou esclarecimentos sobre tipos de benefícios sociais do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS).

Estiveram presentes na Câmara de Vereadores Amarante o representante da Fetraf Brasil, Antonio Chaves; o representante jurídico da Fetraf Piauí, Dr. Carlos Alberto; a assistente social, Alana Silva; e, dentre outros membros da Fetraf, a amarantina Roberta da Silva.

Da zona rural de Amarante, participaram assentados do Mimbó, da Chapada do Filomeno, da Vila Feliz e da Chapada do Bacuri. Do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Amarante, participou o secretário-geral Leomar Duarte.

1507934_1805764432982797_2450734587702959534_n

10351648_1805764629649444_1487478110950333334_n

11013046_1805764559649451_3034692621198525367_n

11074259_1805764512982789_7115410008209636702_n

11174789_1805764326316141_2572897277723608363_n

Tags: ,

Comente aqui

venenatis Phasellus ut vel, Praesent non diam in eget fringilla efficitur.