3:11 pm - quinta-feira novembro 24, 7425

Vereador Rogério Macêdo denuncia condições de fornecimento d’água na zona rural de Amarante

Edição e postagem: Denison Duarte, em 31-10-2015 15:16 | Última modificação: 01-11-2015 02:19
Hospital de Olhos

A sessão deste sábado, 31, iniciou em clima tenso entre os vereadores Rogério Macêdo e Badiga. Este último assumiu a cadeira de Inácio Pinto no Legislativo, que também fazia parte da equipe de legisladores da situação.

As condições do fornecimento de água aos moradores da comunidade Rodrigo Mendes, zona rural de Amarante, foram apontadas por Rogério Macêdo durante a sessão como descaso da atual administração.

Um indicativo reivindicando o reparo dos canos, segundo ele, foi feito pela Câmara e entregue à prefeitura em abril de 2015, e nenhuma resposta foi dada pela administração. “Os canos têm quase 30 anos e estão entupidos. Lá tem canos de esgotos, que não suportam a pressão e entopem com raízes. São canos que se quebram e até sapos já foram encontrados neles.”

A reivindicação do vereador foi respondida pelo legislador Badiga, da situação. Ele assegura que a prefeitura fez a sua parte. “Você é sabedor que a comunidade tinha um problema com a caixa d’água antiga e a comunidade solicitou ao prefeito, e o município botou caixa nova fazendo a tubulação. É normal quebrar e rachar cano.”

Para Rogério o intuito de Badiga é exclusivamente fazer defesa ao prefeito. “O senhor não prestou a atenção, mas eu não deixei de mencionar a substituição de canos feita pela prefeitura, inclusive com canos bons, mas a reclamação é sobre os canos antigos de quase 30 anos. O senhor, vereador, veio com um entusiasmo danado de querer defender o prefeito e não prestou a atenção em nossa fala. Eu não estou colocando a culpa na gestão atual.”

De acordo com o vereador Rogério Macêdo, a prefeitura não pode argumentar que não tem condições de executar os reparos, o que seria inadmissível. Por outro lado, ele diz ainda que o poder executivo precisa dar atenção às solicitações feitas na Câmara.

“Na Lei Orçamentária para o exercício 2016, o prefeito diz que a prioridade é dotar o município de infraestrutura básica para o atendimento aos munícipes. Então, se é para dotar os munícipes de infraestrutura, a comunidade precisa da atitude do poder municipal, até porque o orçamento da Secretaria de Infraestrutura passa de R$ 5 milhões, e fica inadmissível alegar que não tem dinheiro para fazer uma obra como essa que não é cara”, encerra Macêdo.

O prefeito Luiz Neto esteve na Câmara de Vereadores e assistiu a toda a discussão sobre o assunto, feita pelos legisladores.

Vereadores de AmaranteDSCF1210

Edição, postagem e fotos: Denison Duarte

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE