11:09 pm - sábado novembro 18, 2017

Wellington comemora 52 anos e diz que tem apoio de 9 partidos para eleição

Edição e postagem: Leomar Duarte, em 06-03-2014 13:03 | Última modificação: 06-03-2014 13:05
Wellington comemora 52 anos e diz que tem apoio de 9 partidos para eleição

Hospital de Olhos

Ao comemorar 52 anos em festa na APCEF, o senador Wellington Dias (PT) revelou que tem nove partidos dando apoio à sua pré-candidatura ao governo do Estado e criticou obras que estariam paradas e outras que não avançam.

“Algumas coisas pararam. Vamos ter que retomar. Acelerar a obra da ferrovia, tem que repactuar com investimentos como da Suzano, da Vale do Rio Doce, das hidrelétricas, do próprio Porto, de algumas rodovias e estradas. Há necessidade de ter um Estado com competência suficiente para integrar o Estado, município e o governo federal”.

Wellington Dias voltou a afirmar que a campanha só começa em junho após as convenções e que no mês de abril inicia as definições. “Da minha parte afirmo que temos 9 partidos que têm disposição de formar uma frente de partidos no compromisso de abarcar esse projeto de desenvolvimento”.

O senador não quis revelar quais são os nove partidos, alegando que poderia “gerar ciumeira” e destacou que outros podem aderir. As duas siglas já certas são: o PP e o PTB. Ele não descartou a possibilidade do PT se aliar com o PSDB e o PMDB no Estado.

O aniversário do senador contou com a presença do prefeito Firmino Filho, do ex-prefeito de Teresina, Elmano Ferrer, o secretário do Meio Ambiente Dalton Macambira, da deputada Margarete Coelho (PP) e o secretário de governo da Prefeitura, deputado Luciano Nunes (PSDB), além de lideranças do PMDB e do PSB.

O parlamentar federal ressaltou a importância do Piauí está integrado ao projeto nacional. Ele disse que está mais amadurecido principalmente depois da experiência de ser governador por dois mandatos e por estar no Senado.

Wellington Dias disse que a presença de Firmino em seu aniversário representa a maturidade política, que não existe mais “a política de raiva e de ódio”.

“Isso mostra maturidade política que o Piauí não tinha. Ultrapassamos uma geração que era feita uma política de raiva e de ódio e quem perdia era o povo. Hoje temos uma bancada integrada”.

Copa

O senador acredita que o Brasil terá uma Copa tranquila. “Nós recebemos no carnaval cinco vezes do que a expectativa de receber na Copa e o Brasil funcionou. Vamos ter uma competição tranquila. Acho que erra quem aposta que o país o futebol vai está vaiando uma copa”.

Fonte: Cidade Verde