7:27 pm - domingo novembro 19, 2017

Quadrilha que fraudava laudos do INSS no Piauí atuava há dois anos na concessão de benefícios

Edição e postagem: Leomar Duarte, em 18-10-2014 17:58 | Última modificação: 18-10-2014 18:37
Quadrilha que fraudava laudos do INSS no Piauí atuava há dois anos na concessão de benefícios

Hospital de Olhos

A operação realizada ontem (16) pela Polícia Federal, com cumprimento de mandados de busca e apreensão a documentos relacionados à concessão de benefícios previdenciários, pode desbaratar uma quadrilha que é investigada há pelo menos dois anos no Piauí.

A investigação ainda está em curso e se mantém em segredo de justiça, mas o procurador Tranvanvan Feitosa falou sobre o trabalho que vem sendo realizado pelo Ministério Público Federal desde que alguns processos judiciais levantaram suspeitas a respeito de fraudes em laudos para liberação de benefícios previdenciários.

Segundo o procurador, a fraude envolve pessoas que têm acesso aos sistemas e, por causa disso, os benefícios eram concedidos irregularmente. “Falsifica-se de diversas formas. Com carimbos falsos ou mesmo falsificando a assinatura de um profissional que nem sabia de nada. Desse modo, uma pessoa que não é inválida conseguia o benefício”, disse Tranvanvan.

A investigação do MPF já identificou que se tratava de uma fraude sistemática, contínua. “Não se apura um caso, dois, cinco, mas uma organização criminosa especialista em fraude de benefício previdenciário”, disse o procurador, que não confirmou se a quadrilha possui ramificações em outros Estados.

A partir da análise dos documentos apreendidos, a Polícia Federal e o MPF querem descobrir quem produziu os laudos com as informações falsas. “Após a avaliação do material, vai haver a coleta de depoimentos das pessoas e então a polícia fará um relatório e enviará para que o MPF ofereça a denúncia contra os responsáveis”, explicou Tranvanvan.

Somente após o ajuizamento da denúncia e quando for oferecida a ação penal, os fatos se tornarão públicos. Por enquanto, não há previsão de quando isso pode acontecer.

Os responsáveis pelas irregularidades responderão por estelionato contra a previdência social, que tem pena de 1 a 5 anos de prisão por cada fraude cometida. Também há crime de formação de quadrilha e outros delitos.

Fonte:grandepicos