7:05 pm - segunda-feira novembro 20, 2017

Diretora da ADUFPI participa de debate sobre o impeachment na CDH

Edição e postagem: Denison Duarte, em 28-04-2016 19:01 | Última modificação: 28-04-2016 19:45
Diretora da ADUFPI participa de debate sobre o impeachment na CDH

Hospital de Olhos

A diretora Acadêmica e Cultural da ADUFPI, professora Lurdinha Nunes, participou nesta quarta-feira (27), na Comissão de Direitos Humanos (CDH), no Senado Federal, de debate sobre o impeachment sob a ótica dos direitos humanos e democracia. A professora estava representando o Conselho Nacional de Direitos Humanos.

O debate teve como objetivo articular, juntamente com as redes nacionais de Direitos Humanos, o acompanhamento do processo de impeachment. Na oportunidade, foi criado ainda um Comitê Pró-Democracia.

“O comitê é composto por essas redes nacionais de Direitos Humanos e visa fazer um acompanhamento, um controle das ações que acontecem nos bastidores dessas votações, como possíveis trocas de votos e favores. Nós não temos como saber diretamente quando essas práticas acontecem, mas podemos denunciar quando houver indícios.”, explica a professora Lurdinha Nunes.

A diretora fala da motivação dos votos

Ainda de acordo com a professora, o Comitê também irá fazer o acompanhamento das motivações dos votos, que não devem ser pessoais. “Durante a votação no Congresso vimos vários deputados votando por suas famílias e isso não pode acontecer. As motivações e representações do voto devem ser o sujeito coletivo, por exemplo: os índios, o movimento LGBT, em defesa dos direitos da mulher, grupos que são representados por estes Senadores em suas plataformas políticas.”, afirma Lurdinha Nunes.

O debate foi presidido pelo Senador Paulo Paim (PT-RS) e teve ainda a presença do ex-reitor da Universidade de Brasília (UNB), José Geraldo de Sousa Junior, o ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Marcelo Lavenére, o presidente da Federação Nacional dos Servidores do Judiciário nos Estados (FENAJUD), Luiz Fernando Pereira Souza e a professora da Faculdade de Direito da UNB, Beatriz Vargas Ramos.

Postagem: Denison Duarte

Texto: Karla Danielle

Foto: Luiz Fenelon