12:06 am - quarta-feira novembro 22, 2017

Aécio libera PSDB do PI para formar chapa com PSB e PMDB

Edição e postagem: Denison Duarte, em 15-01-2014 23:30 | Última modificação: 15-01-2014 23:32
Hospital de Olhos

Provável candidato do PSDB à Presidência, o senador Aécio Neves (MG) liberou a pré-aliança do partido no Piauí com o PSB/PMDB, porém alertou para o palanque nacional.

Participaram da reunião na tarde desta terça-feira (14), o governador Wilson Martins (PSB), o prefeito de Teresina, Firmino Filho (PSDB), além de Aécio Neves, o senador Cássio Cunha Lima, o deputado federal Marcelo Castro (PMDB), o secretário de Educação, Átila Lira,  o deputado estadual Marden Menezes e o ex-prefeito Sílvio Mendes.

Na reunião, o governador e os tucanos informaram para Aécio Neves a conjuntura política e que o grupo tem o apoio de cerca de 17 partidos no Estado.

“Aécio Neves pediu que continuássemos os entendimentos e era para manter o diálogo, dentro da coerência. Não existe veto, o mais importante é pensar o Estado e o País”, disse Sílvio Mendes.

O ex-prefeito contou ainda que Marcelo Castro também conversou com o vice-presidente Michel Temer.

Na semana passada, o bloco governista se reuniu e anunciou o deputado federal Marcelo Castro como pré-candidato da base, Sílvio Mendes como vice e o governador seria o candidato ao senado.

“A conversa foi amistosa e bem descontraída. É um processo de construção de uma aliança que precisa ser bem delineada. A recomendação é que continue avançando no diálogo. Existe uma abertura muito boa para que os partidos continuem construindo esse caminho. Está acertado que mais a frente ocorra outra reunião”, disse Marden.

Palanque

A aliança do PSB/PMDB e PSDB bagunça com os palanques nacionais, já que Wilson Martins terá que apoiar a candidatura à presidência do governador Eduardo Campos (PSB). Já o PSDB teria Aécio Neves e o PMDB com Dilma Rousseff.

Hoje senador Aécio Neves (MG) afirmou na imprensa nacional que o PSB é quem mais sairá perdendo caso o partido aceite o veto proposto pela ex-ministra Marina Silva a apoiar a candidatura à reeleição do governador de São Paulo, o tucano Geraldo Alckmin.

Reportagem do jornal O Estado de S. Paulo publicada nesta terça revelou que o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, transmitiu, na segunda-feira, 13, a integrantes da Rede Sustentabilidade que aceita o veto de Marina desde que a ex-ministra antecipe o anúncio de que será sua vice na disputa pela Presidência da República. A intenção é que isso ocorra já no próximo mês.

Fonte: Cidadeverde

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE