2:54 pm - segunda-feira novembro 20, 2017

Poemas de Climério Ferreira, poeta e compositor angicalense. Um dos grandes compositores da música popular brasileira.

Edição e postagem: Nathan Sousa, em 02-12-2013 11:52 | Última modificação: 02-12-2013 18:04
Hospital de Olhos

DESNASCER

CLIMÉRIO 2

O mundo vai ficando diferente
A arquitetura vai se modificando
O amigo vai ficando ausente
O tempo ontem se distanciando

O esquecimento vai se impondo
A lembrança do passado se faz presente
Caras e nomes vão se misturando
É a gente desnascendo lentamente

(Climério Ferreira)
A PRESSA VÃ DA VIDA FÚTIL
As crateras do tempo engolem horas
Os vulcões dos séculos expelem anos
Não sobra espaço para as demoras
Nem a calma necessária para os planos
Nesse turbilhão de minutos aflitos
Montanhas de desejos se evaporam
Os dias destroçam santos e mitos
E os ideais necessários desmoronam
(Climério Ferreira)