Presidente do Irã diz que armas químicas mataram pessoas na Síria
3:34 pm - segunda-feira setembro 25, 2017

Presidente do Irã diz que armas químicas mataram pessoas na Síria

Edição e postagem: Denison Duarte, em 24-08-2013 12:01 | Última modificação: 24-08-2013 12:04
Educandário Menino Jesus

DUBAI, 24 Ago – O presidente iraniano, Hassan Rouhani, disse neste sábado que armas químicas mataram pessoas na Síria e apelou à comunidade internacional para que impeça o uso do armamento.

Rouhani não afirmou quem ele considera que usou as armas, mas o ministério iraniano de Relações Exteriores disse neste sábado que as evidências apontam para rebeldes que combatem o presidente sírio, Bashar al-Assad.

Rouhani não mencionou o furor internacional sobre os relatos da oposição síria de que forças do governo haviam matado cerca de mil civis com gás em Damasco na quarta-feira.

"Muitas das pessoas inocentes da Síria foram feridas e martirizadas por agentes químicos, e isso é lamentável", declarou Rouhani, o presidente recentemente eleito no Irã, segundo a agência de notícias iraniana Isna.

"Nós condenamos completa e fortemente o uso de armas químicas porque a República Islâmica do Irã é também vítima de armas químicas", afirmou ele, de acordo com a agência.

O Irã foi alvo de ataques com armas químicas lançados por forças iraquianas durante a Guerra Irã-Iraque (1980-1988).

"A República Islâmica avisa a comunidade internacional para que use todo o seu poder a fim de evitar o uso dessas armas em qualquer parte do mundo, especialmente na Síria", disse Rouhani.

A Rússia, outro grande aliado do governo sírio, sugeriu que os rebeldes possam estar por trás do ataque.

O porta-voz do ministério de Relações Exteriores do Irã, Abbas Araqchi, disse que o Irã acredita que os rebeldes estejam por trás do ataque e que o Irã está em contato com a Síria e outros países para descobrir o que aconteceu.

O levante contra quatro décadas de regime da família Assad se transformou em uma guerra civil que já matou mais de 100 mil pessoas.

Potências estrangeiras têm dito que o uso de armas químicas poderia mudar os cálculos em termos de intervenção e pediram que o governo sírio permita que uma equipe de especialistas da ONU examine o local dos relatos sobre o suposto ataque de quarta-feira.

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE