11:52 am - terça-feira novembro 21, 2017

Câncer bucal registra 14 mil mortes por ano no Brasil

Edição e postagem: Denison Duarte, em 07-04-2016 21:53 | Última modificação: 07-04-2016 21:53
Hospital de Olhos

Câncer bucal  – O câncer é hoje a segunda causa de mortes no Brasil e no mundo, perdendo apenas para as doenças cardiovasculares. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2030, pode-se esperar 27 milhões de novos casos da doença, 17 milhões de mortes por câncer e 75 milhões de pessoas vivas com a enfermidade. Já no Brasil, de acordo com os últimos dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), em 2016, estima-se a ocorrência de 596 mil casos da doença, reforçando a magnitude do problema no país.

Um tipo de câncer tem chamado a atenção da sociedade: o câncer bucal. A doença é pouco conhecida e costuma ser diagnosticada tardiamente e no país já começa a ganhar contornos de epidemia. Segundo INCA mais de 14 mil novos casos são registrados por ano, matando mais de 4 mil brasileiros anualmente, o país possui a 3ª maior incidência
da doença no mundo, atrás apenas da índia e da antiga Tchecoslováquia.

De acordo com a dentista Fabiola Serra o fumo, álcool e maus hábitos alimentares estão entre as principais causas do câncer bucal e o diagnóstico precoce pode ajudar a salvar vidas. O dentista é o profissional que tem mais chances de detectar primeiro a patologia.

O câncer bucal quando detectado

dentista“Quando detectados na fase inicial, principalmente as neoplasias, têm de 80 a 90% de chances de cura. É preciso estar atento aos primeiros sinais. Por exemplo, uma afta que persiste por mais de duas semanas, manchas brancas ou vermelhas, que apareçam espontaneamente, ou mesmo nódulos que começam como caroços pequenos, mas que adquirem volume
discreto a ponto de ser perceptível”, pontua Fabiola Serra.

A dentista Fabiola Serra ressalta que a prevenção é o fator essencial. Evitar fumar e beber, usar o protetor solar labial e ir ao dentista regularmente são as medidas principais. Mas manter uma dieta saudável e evitar o uso de próteses e dentes que machucam a mucosa também são medidas preventivas eficazes, além do autoexame na boca.
Postagem: Denison Duarte
Texto: Suzy Sousa