Palmeiras 'acorda' no segundo tempo, vira contra o Paraná e se garante na ponta
9:42 am - quarta-feira setembro 20, 2017

Palmeiras ‘acorda’ no segundo tempo, vira contra o Paraná e se garante na ponta

Edição e postagem: Denison Duarte, em 10-08-2013 20:21 | Última modificação: 10-08-2013 20:29
Educandário Menino Jesus

O Palmeiras deu mais um passo importante para voltar à elite do futebol brasileiro. Neste sábado, no Pacaembu, o clube paulista saiu atrás, mas reagiu na segunda etapa e venceu o Paraná por 2 a 1, com gols de Juninho e Wesley.

O resultado leva o Palmeiras a 34 pontos e garante o clube na liderança após o fim da 14ª rodada. A Chapecoense, rival mais próxima, tem 29 e joga no domingo contra o Guaratinguetá, podendo chegar a 32. A equipe catarinense tem uma partida a menos.

O Paraná, com 23 pontos, mantém a quarta colocação, mas encerra a rodada ameaçado pelo Boa, que tem a mesma pontuação e bateu o Icasa na sexta-feira. O América Mineiro, sétimo colocado com 22 pontos, tem um jogo a menos.

O jogo – Neste sábado, o Palmeiras quis logo vazar a melhor defesa da competição e partiu para cima. Wesley, um dos três volantes da equipe, apresentava-se bastante ao jogo e distribuía bem a bola ao ataque, enquanto Valdivia era bem vigiado. Quando a bola chegava a Alan Kardec, confiante pelos quatro gols marcados nas últimas cinco partidas, o atacante dava trabalho à defesa paranista com apoio principalmente de Juninho, pelo lado esquerdo.

Mas foram os visitantes quem primeiramente assustaram para valer. Rubinho, o armador do time treinado por Dado Cavalcanti, cobrou falta que exigiu muito reflexo de Fernando Prass. Em seguida, o camisa 7 enfiou ótima bola para Léo ganhar de Luis Felipe e sair sozinho na grande área. Para sorte do goleiro palmeirense, o árbitro entendeu que o atacante havia cometido falta no lateral direito e paralisou o lance.

A mesma sorte, Prass não teve aos 17 minutos, quando o Paraná abriu o placar após cobrança de falta pelo lado do campo. O zagueiro Anderson fez um leve desvio, e Charles cabeceou para a própria meta. Sem contar com o desvio do volante, que voltava a ser titular do Palmeiras depois de cumprir suspensão, o goleiro nem se mexeu em cima da linha.

O gol contra deixou o Paraná ainda mais fechado. Jogando atrás da linha da bola, a equipe tricolor por pouco não ampliou a vantagem três minutos depois de ter balançado a rede. Em rápido contragolpe após escanteio, seis jogadores atacaram três defensores palmeirenses. A jogada só não resultou no segundo gol porque Reinaldo errou cruzamento para o meio da área, levantando a bola nos pés de Juninho.

Passado o susto, o Palmeiras se organizou melhor e aumentou a pressão ofensiva em busca do empate. Pouco produtivo até então, Valdivia chegou a balançar a rede aos 34 minutos, mas depois de a assistente já ter apontado impedimento. Pendurado e desfalque certo na próxima rodada por ter sido convocado para a seleção chilena, o meia queria o cartão amarelo, porém não teve o desejo atendido pelo árbitro.

O chileno ainda acertou um chute perigoso, à direita do gol, mas foi com seus dois atacantes que o Palmeiras mais se aproximou do empate. Leandro completou de primeira um cruzamento vindo da direita e parou nas mãos de Luis Carlos. Depois, foi a vez de Alan Kardec ganhar do goleiro pelo alto, mas cabecear por cima do travessão e manter o time em desvantagem no intervalo.

A única mudança de Kleina para o segundo tempo foi a entrada de Mendieta no lugar de Charles, autor do gol contra. Logo no primeiro minuto, o paraguaio participou de boa jogada que chegou a Leandro. O atacante fintou um primeiro marcador na meia-lua, mas, de frente par ao gol, chutou nas costas de outro zagueiro.

Treze minutos mais tarde, Valdivia lançou Luis Felipe em profundidade, por trás do adversário. O ambidestro lateral direito disparou em velocidade, clareou o lance com drible no bico da área e chutou rasteiro, de perna esquerda. Luis Carlos deu rebote, e Juninho, que chegava na segunda trave, completou para a rede, igualando o marcador no Pacaembu.

Contagiado pela festa na arquibancada, virada passou a ser questão de tempo. E ela veio aos 26, seis minutos depois de Luis Carlos salvar arremate de Alan Kardec à queima-roupa. Wesley aproveitou rebote do goleiro paranista, deixou um zagueiro no chão e estufou a rede.

Na comemoração, fez questão de saudar a torcida de perto, tendo em conta que este pode ter sido seu último jogo com a camisa alviverde.

Não houve mais gol, mas o público de pouco mais de 29 mil pagantes ainda teve motivo para festejar antes do apito final. Substituído pelo volante Eguren, Valdivia atrasou o máximo que pôde sua saída de gramado, a fim de receber o tão pretendido cartão amarelo. E conseguiu. O atacante Alan Kardec, porém, estava pendurado, também foi advertido e desfalca o time na terça-feira.

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE