10:59 pm - sexta-feira novembro 17, 2017

Mulher é presa ao se passar por funcionária do INSS

Edição e postagem: Denison Duarte, em 01-11-2013 01:25 | Última modificação: 26-11-2013 02:26
Hospital de Olhos

Uma mulher identificada como Maria da Conceição Carvalho, conhecida como “Concita”, de 47 anos, foi presa na manhã desta quarta-feira (30/10), acusada de vários crimes de estelionato em São Luís.

Maria da Conceição, que é carioca e reside em São Luís há sete anos, foi presa na Avenida São Marçal, no bairro do João Paulo, em cumprimento a um mandado de prisão expedido pela juíza Ana Célia Santana, da 6ª Vara Criminal da capital. A ordem foi expedida em fevereiro de 2012..

Maria da Conceição é acusada de aplicar vários golpes em idosos e ainda furtar as residências das vítimas. Até o momento foram identificadas dez vítimas da estelionatária e a estimativa da polícia, é que ela tenha lesado os idosos em mais de R$ 15 mil ao todo.

De acordo com o delegado, Rodson Almeida, titular da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), para conseguir praticar os crimes, “Concita” passava-se por representante do Instituto Nacional da Seguridade Social (INSS) e prometia que iria conseguir que as vítimas recebessem algum benefício social, ou mesmo aumentar o valor já recebido pelos idosos.

Antes de se aproximar das vítimas, Maria da Conceição identificava se o idoso recebia algum benefício do Governo Federal. Caso ele já recebesse, a promessa era de aumentar o benefício, caso contrário, a criminosa prometia fazer com que a vítima entrasse no quadro de beneficiário do INSS.

Ainda segundo o delegado, para “arrancar” dinheiro dos idosos, a estelionatária dizia que precisava de recursos para custear os gastos com a documentação necessária para realizar os procedimentos no INSS.

“Ao receber o dinheiro das vítimas, que era sempre a partir de R$ 500, a criminosa passava mais alguns dias dizendo que o processo estava em andamento. Depois disso, sumia sem dar satisfação”, explicou.

O delegado contou ainda que, ao frequentar as casas das vítimas, “Concita” ainda praticava pequenos furtos das residências. Com a criminosa, foram detidos mais quatro pessoas, sendo três mulheres e um homem. Eles são suspeitos de serem cúmplices de Maria da Conceição. Rodson Almeida disse ainda, que outras pessoas podem estar envolvidas nas ações criminosas, mas que isso ainda está sob investigação.

Maria da Conceição foi autuada pelos crimes de falsidade ideológica, estelionato, falsidade de documentos públicos e privados e ainda por formação de quadrilha.