11:23 am - segunda-feira novembro 20, 2017

Felipão assume responsabilidade por vexame do Brasil na derrota de 7 x 1 para a Alemanha em MG

Edição e postagem: Denison Duarte, em 08-07-2014 20:10 | Última modificação: 08-07-2014 20:19
Felipão assume responsabilidade por vexame do Brasil na derrota de 7 x 1 para a Alemanha em MG

Hospital de Olhos

Na coletiva de imprensa após o maior vexame da história do futebol brasileiro, técnico Luiz Felipe Scolari assumiu a responsabilidade pelos 7 a 1 impostos pela Alemanha, no Mineirão. O treinador disse que não se arrepende de ter escalado Bernard desde o início (no lugar de Neymar) e destacou o futebol apresentado pelos adversários

RESPONSABILIDADE

Quem é responsável quandopelas escolhas, pela parte tática, sou eu. O resultado foi catastrófico. O que hoje aconteceu é muito diferente daquilo que jogamos. Até o primeiro gol, o jogo era idêntico. Eles fizeram o primeiro gol. Houve um descontrole, naturalmente que não é normal, mas acontece. É catastrófica, é horrível, é feia, mas é um caminho que devemos aprender com isso.

ESCALAÇÃO INICIAL

Não me arrependo da maneira como escalei. Se hoje Imaginava que com a volta do Bernard, Hulk e Oscar poderia organizar. Estava tudo organizado até o primeiro gol, aí nos desorganizamos. Começou a dar tudo certo pra eles e tudo errado pra gente.

O QUE DEU ERRADO

Deu errado dez minutos de jogo hoje. E a equipe da Alemanha foi maravilhosa, fantástica. Não vai acontecer para a Alemanha nem para nós nunca mais.

PORQUE NÃO MEXEU NO PRIMEIRO TEMPO

Levamos um gol atrás do outro, foi um branco total. Não tinha o que fazer naquela oportunidade, quando a gente está em pane, não vale a pena.

INEXPLICÁVEL

Ainda tivemos algumas chances, criamos algumas coisas a mais. Perdemos um jogo para uma grande seleção. Nem eles sabem como isso aconteceu. Cinco bolas, cinco gols, foi pela qualidade, nós respeitamos isso.

DÍVIDA COM A TORCIDA

Não tenho dívida, não. Fiz o meu trabalho como em qualquer lugar. Da forma como nós trabalhamos, tivemos uma derrota hoje. Foi a terceira derrota em um ano e meio. Foi uma derrota horrível. Foi o que eles fizeram não é questão de dívida nem de crédito. Ganhamos em 2002. Perdemos hoje e a escolha foi minha. Não podemos esquecer o jogo de sábado. Ainda tem um jogo para a gente jogar.

EXPERIÊNCIA ALEMÃ

Do nosso time, 12, 13, 14 vão estar no Mundial de 2018. Essa equipe da Alemanha tinha jogado o Mundial de 2010, e a Euro de 2008. Eles encontraram espaços, e todos têm qualidade para tocar a bola e experiência. Eles têm cinco ou seis jogadores com mais de 120 jogos pela seleção. Eles jogaram um jogo que não jogaram no Mundial, foi o melhor Mundial e nós o pior jogo do Mundial, essa foi a diferença.

OBRIGAÇÃO DE TRAZER O HEXA

Eles sabiam desde o início que, jogando em casa, nossa obrigação principal era sermos campeões. Não é pressão nenhuma sobre eles. Eles fizeram o que estavam ao alcance. Não tem porque cobrar alguma coisa diferente. Deu errado em 10 minutos do jogo hoje, ponto. E a equipe da Alemanha foi fantástica. Não vai acontecer com a Alemanha nem com a gente nunca mais.

SEM DESCULPAS

Não dá pra imaginar que com o Neymar seria diferente. Não vamos arrumar desculpas sobre Neymar, sobre o hino, sobre entrar em campo com a mão no ombro. A Alemanha impôs um ritmo maravilhoso, conseguiu em dois ou três lances definir o jogo, além de influenciar positivamente o time deles, influenciou negativamente o nosso jogo. Eles fizeram isso desde o início.

SEM REAÇÃO

A gente poderia ter feito uns dois gols. Quando não faz e o adversário vai lá e faz o sexto gol, arrebenta com o nosso emocional. Era o dia que tudo que a Alemanha fazia dava certo e tudo errado para a gente.

LIÇÕES

As lições é analisar tudo o que aconteceu, trabalhar principalmente porque muitos deles estarão nas próximas convocações, mostrar que foi um jogo atípico, a qualidade da Alemanha foi muito grande. É a pior derrota do Brasil, mas que aconteceu, mas a vida deles vai continuar e a minha também. Vamos ver o que a gente pode mudar.

PIOR DIA DA VIDA

Naturalmente, como jogador, técnico, professor de educação física, entendo que foi o pior dia da minha vida, mas ela continua . Vou ser lembrado por ter perdido por 7 a 1, na pior derrota da história do Brasil, mas é um risco que a gente assume. E minha vida segue, é o que vou fazer.

CLIMA NO VESTIÁRIO

Clima horrível, mas não tem o que fazer agora, neste momento, no vestiário. Temos que ir aos poucos trabalhando. Ninguém esperava esse resultado, agora é trabalhar em cima disso para estarmos recuperados para o jogo com o perdedor do jogo de amanhã. Vamos continuar fazendo nosso trabalho, sabendo que nossa história continua e a maioria desses jogadores vai continuar jogando em alto nível. A vida não acaba com essa derrota.

Fonte: OGlobo