3:15 pm - segunda-feira novembro 20, 2017

CBF vai agir para combater violência; confira

Edição e postagem: Denison Duarte, em 09-12-2013 00:16 | Última modificação: 09-12-2013 00:20
CBF vai agir para combater violência; confira

Hospital de Olhos

A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) se pronunciou na noite deste domingo sobre as lamentáveis cenas de violência ocorridas entre torcedores de Atlético-PR e Vasco, em Joinville. Por meio de um comunicado oficial, o presidente José Maria Marin repudiou a pancadaria que deixou quatro torcedores hospitalizados e afirmou que a entidade irá agir.

“O futebol é a maior paixão do brasileiro e como tal tem de ser encarado, com o espírito de esportividade e alegria. Não podemos mais permitir que episódios de violência e de selvageria voltem a ser vistos por todos nós e pelos verdadeiros torcedores que amamos esse esporte. A CBF vai agir, mais uma vez, para combater essa violência injustificável”, afirmou o presidente.

Marin, no entanto, ressalta que, para tomar qualquer tipo de atitude diante do que foi visto em Joinville, no duelo que sacramentou o rebaixamento da equipe carioca, terá de aguardar as deliberações de todos os órgãos envolvidos na partida.

“É o que cabe à CBF neste momento. Temos de aguardar a posição de todos os setores envolvidos na questão”, completou o dirigente.

<> A briga na Arena Joinville, em Santa Catarina, terminou com três detidos para averiguação e quatro torcedores foram encaminhados para o Hospital Municipal São José – um deles já recebeu alta enquanto outros três seguem internados com traumatismo craniano. Entre os presos está o vascaíno que aparece nas imagens de TV portando uma barra de ferro com prego na ponta, identificado como Leoni Mendes da Silva, 23 anos.

Além de Silva, os outros vascaínos detidos foram Jonathan Santos, 29 anos, e Arthur Barcelos de Lima Ferreira, 26. Eles estavam escondidos dentro de um dos ônibus oriundos do Rio de Janeiro e foram detidos pela Polícia Militar. A barra de ferro com prego também foi apreendida. Os três vascaínos foram transferidos para o Presídio Regional de Joinville e responderão por tentativa de homicídio, crime contra o patrimônio público e por ferir o artigo 41B do Estatuto do Torcedor (incitar violência no estádio).

Fonte: UOL