7:06 pm - segunda-feira novembro 20, 2017

Unidos da Tijuca e Beija Flor são destaques no segundo dia de desfilles

Edição e postagem: Denison Duarte, em 17-02-2015 12:05 | Última modificação: 17-02-2015 12:05
Unidos da Tijuca e Beija Flor são destaques no segundo dia de desfilles

Hospital de Olhos

O segundo dia de desfiles das escolas de samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro trouxe a campeã do ano passado, a Unidos da Tijuca, e a Portela, maior campeã do carnaval do Rio, além de mais quatro escolas com enredos sobre igualdade racial, cultura negra, estética e grandes nomes do carnaval. E quem brilhou mais intensamente foram justamente a campeã do ano passado, que fez até nevar na avenida, e a Beija-Flor de Nilópolis, que cantou a Guiné Equatorial.

A primeira a desfilar, às 21h30, foi a São Clemente, que fez uma grande homenagem ao carnavalesco Fernando Pamplona, considerado um dos pais dos desfiles de escolas de samba. Com a consagrada carnavalesca Rosa Magalhães à frente do enredo, a escola contou a biografia do carioca e o exaltou como maior gênio da avenida. Carnavalesco da Acadêmicos do Salgueiro por quase 20 anos, Pamplona morreu em 2013.

A maior vencedora do carnaval do Rio de Janeiro, com 21 títulos, foi a segunda a desfilar, fazendo um desfile celebrando os 450 anos do Rio de Janeiro e representando as belezas da cidade com um olhar surrealista, inspirado no pintor espanhol Salvador Dalí.

A Beija-Flor de Nilópolis, terceira a entrar na avenida, às 23h40, falou sobre as diferentes culturas africanas que chegaram ao Brasil com o tráfico negreiro, focando em Guiné Equatorial, país que foi um dos patrocinadores do desfile deste ano, o que rendeu críticas à escola.

Os excessos na busca pela beleza e a supervalorização da aparência em relação a outras qualidades são os temas do enredo da União da Ilha, quarta escola a desfilar, já às 0h45 da manhã desta terça-feira. A escola deu um enfoque histórico e bem-humorado ao tema.

Em seguida, foi a vez da Imperatriz Leopoldinense, escola que entrou na avenida à 1h50. A agremiação falou da luta por igualdade racial, passando por personalidades brasileiras e estrangeiras como o líder sul-africano Nelson Mandela.

A campeã do ano passado, Unidos da Tijuca, foi a última escola do Grupo Especial a passar pela avenida. O enredo da escola foi a a Suíça e os símbolos do país – como o queijo, o canivete, a neve e o chocolate – sendo retratados no carnaval.

via: Jornal Correio do Brasil.