12:28 pm - quarta-feira novembro 22, 2017

KLB: Kiko, Leandro e Bruno revelam segredos e falam sobre nova fase

Edição e postagem: Denison Duarte, em 22-07-2015 14:43 | Última modificação: 22-07-2015 14:43
Hospital de Olhos

Você sabia que Kiko já foi viciado em comprar guitarras e acumulou 114 exemplares? E que Leandro já ficou cinco dias sem tomar banho? Ou que Bruno precisa balançar o pé para pegar no sono? Apesar de terem crescido aos olhos do público, os integrantes do KLB guardam esses e outros “segredos”. Em conversa com o EGO no estúdio que a família mantém dentro de casa, em São Paulo, os três falaram um pouco das suas manias, da relaçãoo com os palcos e com os fãs.

Kiko, o mais falantes dos irmãos, não tem dificuldade em enumerar algumas de suas (várias) manias. “Sou viciado em chocolate. Preciso, senão passo mal. Também sou um eterno roedor de unhas. E tinha um vicio desgraçado de comprar guitarras. Graças a Deus fui curado, depois de 114. Tenho insônia, durmo pouco e mal. Nunca bebi uma gota de álcool. Não desce. E se eu tiver que trocar de roupa, preciso tomar banho. Quando a gente tem ensaio de fotos com vários tipos de looks, eu sofro. É algo que me atormenta”, admitiu o cantor.

Eu fui escolhido. Não tenho mau cheiro. Pessoas comuns são fedidas. Mas fico dias sem tomar banho se precisar”.
Já Leandro tem uma mania voltada para a limpeza e organização. “Sou discípulo da ordem. Se estiver tudo jogado, espalhado, não fico bem. Posso estar dias sem tomar banho, mas tem que estar tudo arrumado”, afirmou o cantor, que não brincou ao fazer a comparação.

“Já fiquei cinco dias sem tomar banho. Fiquei cheiroso do mesmo jeito, como no primeiro dia. Porque vou tomar banho, então?”, questionou. Enquanto os irmãos brincavam com a confissão, Leandro se defendia: “Vocês não me entendem. Eu fui escolhido. Não tenho mau cheiro. Pessoas comuns são fedidas. Mas fico dias sem tomar banho se precisar”.

Na listinha de segredos de Bruno, o cantor só conseguiu citar o vício por comida, a paixão por dormir e o pé incontrolável. “Eu não consigo ficar com o pé parado. Até para dormir. Pego no sono balançando o pé. Mas só isso, Não tenho manias”, afirmou o cantor, antes de Kiko provocar: “Falou o perfeito (risos)”.

A retomada
Nos últimos anos, o KLB diminuiu o ritmo e os irmãos começaram a se dedicar a projetos próprios. Bruno transformou seu hobby em MMA em algo profissional, Kiko se voltou para a política, assim como Leandro, que também se tornou pai das gêmeas Maya e Kiara, de seu casamento com a miss Natália Guimarães. Bruno, aliás, faz questão de ressaltar com o DVD “Um novo tempo” não marca o retorno da banda e, sim, uma nova fase. “Nós não paramos”, afirma ele, que explicou que o grupo apenas optou por reduzir o número de shows. “Seguimos na atividade, mas com algum espaço pra cada um fazer aquilo que achava que tinha que fazer. Foi um tempo muito bem aproveitado, mas tudo com a banda acontecendo”.

Apesar da retomada ao antigo ritmo do grupo, Kiko destacou a importância de uma boa administração na agenda de shows. “Acredito que uma quantidade menor te possibilita ter uma vida pessoal melhor também. Leandro é pai, tem duas filhas… A gente sabe o que é crescer com a ausência permanente do pai. O nosso vivia na estrada, viajando. E para ele deve ter sido ainda mais difícil. Talvez ele tenha sentido ainda mais que a gente”, declarou Kiko. Franco Scornavacca, pai e empresário dos meninos, foi integrante da banda Os Brasas na época da Jovem Guarda.

A gente sabe o que é crescer com a ausência permanente do nosso pai, que vivia na estrada, viajando”.
A relação com os fãs
Há alguns anos, Leandro revelou que a mulher, Natália Guimarães, sofria retaliação por parte das fãs do grupo. E mesmo o casal já estando há sete anos junto o ciúme continua. “Sempre vai ter, mas é uma minoria. Os fãs dela também me retaliam (risos). Acho que é ciúme, né? A pessoa se sente lesada. É uma coisa que não tem muito fundamento, mas acontece. A maioria esmagadora, de ambas as partes, gosta muito da gente. Mas sempre tem uma meia dúzia de maluco aí”, se diverte Leandro, que afirmou não dar muita atenção ao assunto.
05_1
Esse time de que torce pelo casal também apoia o grupo sempre. Kiko mostrou grande reconhecimento por estes fãs, aos quais chama de “exército”. Para o cantor, são os fãs que mostram quem vai seguir de forma incisiva e definitiva no mercado. E também são eles que têm ajudado o KLB nesta nova fase musical. “Quando você está afastado, como foi nosso caso, na hora que começa a falar que está voltando, existe aquela primeira dúvida. Mas os nossos fãs são fieis. Cresceram com a gente. Muitos já são pais, levam os filhos aos shows. Já estamos na fase de passar de geração para geração. Isso é muito importante”.

Não é que saio xingando, mas não tenho paciência com gente escrota na internet”.
Vale a pena ver de novo
O KLB está também de volta às telinhas. No início dos anos 2000, os irmãos integraram o time de apresentadores do “Jovens Tardes”, programa criado pelos pais dos meninos que atualmente está sendo reprisado pelo Canal Viva. “Estou mais novo hoje do que naquela época (risos). Eu não trocaria o ‘eu’ de hoje pelo Kiko daquela época. Foi uma fase boa, experiência boa. Poder reviver isso hoje é fantástico”, comemora Kiko, que fica ligado nas redes sociais quando o programa entra no ar.

Na web
E por falar em rede social, Kiko, Leandro e Bruno se mostram bem abertos a conversar com os fãs por esses canais. “A gente fala sobre o que quer, o que pensa. Hoje em dia as redes sociais são pra isso. Ter proximidade com seu público, poder falar, passar a mensagem. Isso é muito bom”, defendeu Leandro.

Mas como não só de fãs vivem as timelines dos artistas, Bruno afirma que também não se importa em rebater eventuais comentários maldosos. “Quando vejo que tem uma pessoa abusada, eu não me rebaixo a ele, mas dou um ‘tapa na cara’. Não é que saio xingando, mas não tenho paciência com gente escrota na internet”, garantiu o cantor.

Kiko também é adepto das respostas nas redes sociais. “Tem gente que tem um ranço, uma mágoa, uma inveja, seja lá o raio que for. A rede social permite isso. Quando vejo que a pessoa está mal intencionada ou falta coerência, eu rebato com classe. A pessoa não veio falar o que quer? Então vai ouvir. E se for muito escroto, eu deleto”.

Portal: Ego

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE