11:07 pm - segunda-feira novembro 20, 2017

Franciscoenses não terão a festa da posse: ‘vamos priorizar pagamento de servidores’, diz Adelbarto

Edição e postagem: Denison Duarte, em 09-12-2016 16:23 | Última modificação: 26-12-2016 09:40
Franciscoenses não terão a festa da posse: ‘vamos priorizar pagamento de servidores’, diz Adelbarto

Foto: Agerp

Hospital de Olhos

Sem festa da posse  – Com a mudança de gestor, a real situação deixada pelo ex-prefeito Valdivino Nepomuceno(PDT), que foi destituído do cargo por força judicial no dia 11 de novembro, pode ainda representar uma dificuldade visível aos franciscoenses pelos quatro primeiros meses de 2017.

O prefeito eleito em São Francisco do Maranhão, Adelbarto Santos (PCdoB), fez um rápido balanço com o atual prefeito Elson Aires (PSB) – substituto de Valdivino, e concluiu que o município somente vai começar a se equilibrar a partir de maio do próximo ano.

Os dados já foram obtidos pela equipe de transição, que tiveram como base um levantamento feito da real situação deixada pelo ex-prefeito.

“A entrada do Elson Aires foi uma bênção de Deus na prefeitura. Estamos fazendo um apanhado de informações. Percebemos que o município passa por um momento delicado”, disse Adelbarto Santos.

Um dos maiores problemas enfrentados pela atual gestão, segundo Adelbarto, está relacionado à folha de pagamento. Ele disse que os dados apontam para sérios problemas relacionados à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

“A folha de pagamento é muito grande e não condiz com o que a prefeitura recebe, o que nos diz que a situação é muito crítica porque a Lei de Responsabilidade Fiscal só permite gastar 60% com pessoal, e a prefeitura vinha gastando 87%”, reforça.

Sem a festa da posse

Diante do cenário atual, Adelbarto Santos e seu vice, Júnior Furreca (PMN), consideram extremamente necessário não fazer gastos com a comemoração no dia da posse, em janeiro, e manter em dia o compromisso com o servidor e com a limpeza da cidade.

“O Elson está tentando fazer milagre, mesmo enxugando a folha, mas ainda vai ficar difícil. Por ver a real situação foi que a gente optou em não fazer a festa de comemoração da posse, que acontece no dia 1º de janeiro”.

“Para gastar 60 mil reais com a festa da posse não dá, enquanto, na verdade, a gente quer gastar esse dinheiro com a limpeza pública e com pagamento de pessoal”

“A entrada do Elson Aires facilitou muito. Por exemplo, se o PSF (Programa de Saúde da Família) passasse mais dez dias nas mesmas condições em que estava, seria cancelado no município”.

O futuro prefeito se refere às condições de precariedade nos serviços e na falta de repasse das informações ao Ministério da Saúde.

“A gente quer dizer à nossa população que nós estamos preocupados com as pessoas de São Francisco do Maranhão. Estamos sendo prudentes em nossas decisões. É preferível que a gente pague os servidores em dia e faça a limpeza da cidade em vez de fazer uma festa com gastos sem precedentes”, disse, ao afirmar que o município já vai poder se programar para uma grande festa no aniversário da cidade.

“Nós precisamos dos quatro primeiros meses para um diagnóstico preciso da situação financeira, mas muitas coisas importantes não vamos abrir mão, a exemplo da atenção que sempre deveria ter sido dada aos servidores”, encerra.