12:43 am - terça-feira novembro 21, 2017

Diretoria do STR de Amarante diz em Assembleia que desfalque em fevereiro chegou a R$ 47 mil

Edição e postagem: Denison Duarte, em 18-03-2016 14:15 | Última modificação: 18-03-2016 23:55
Hospital de Olhos

Tesouraria do STR – “O nosso próximo passo é organizar o Sindicato!”, afirmou o representante da Comissão de Ética da Fetag e presidente sindical regional de Picos, Libório de Moura, durante a primeira Assembleia da nova diretoria do Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) de Amarante.

No evento, que foi realizado na sede do STR nesta sexta-feira (18), foram apresentados os dados financeiros da entidade referentes unicamente ao mês de fevereiro de 2016, quando o tesoureiro era o vereador do PT, José Pereira.

De acordo com dados apresentados por Libório e pela atual diretoria, do dia 1º ao dia 21 de fevereiro, entrou em caixa R$ 70 mil, as despesas do período apresentadas pela gestão anterior foram de R$ 23 mil. “Onde entrou o restante do dinheiro? Não sei porque essa informação ex-tesoureiro Zé Pereira não soube dizer”, afirmou Libório de Moura.

O assessor da Fetag e a atual tesouraria, representada pelo sindicalista João de Deus, informaram aos trabalhadores que apenas R$ 347,00 foram encontrados no caixa da entidade, enquanto o valor deveria ser de R$ 47 mil.

Dados da Tesouraria do STR sem informações bancárias

Os dados apresentados pela atual diretoria e por Libório de Moura não contêm informações acerca da conta bancária do STR. “Este é apenas o valor que estava em caixa”, disse ele.

“É interessante que vocês estejam informados e que, enquanto trabalhadores e sócios, vocês estejam também atentos”, completou o membro da Comissão de ética da Fetag.

Libório de Moura foi presidente da Comissão Eleitoral no último pleito, ocorrido em 21 de fevereiro deste ano, que definiu Luíza Neta a nova presidente do STR de Amarante.

Ele se referiu à parceria da Fetag com o STR como uma oportunidade de colocar a Casa em ordem, mas frisou: “É necessário que se tenha ética, moral, transparência e respeito ao trabalhador rural. Quem era presidente do STR (na gestão anterior), não exerceu bem o seu papel porque quem estava na tesouraria não dava condições”, encerra.

Os dados apresentados por Libório e pela atual tesouraria do STR foram confirmados pelo contador da entidade, Dr. Moura. “Eu sempre orientei a direção em relação aos recibos. Eu dizia que eles tinham que estar em conformidade com as notas fiscais”

Dr. Moura era o contador da diretoria anterior. Suas explicações são alusivas à gestão em que o vereador do PT, José Pereira, era o tesoureiro.

“Vamos tomar as providências para saber o que houve, e punir os responsáveis”, afirmou o assessor jurídico da atual diretoria, Marco André.

Edição, fotos e postagem: Somos Notícia / Denison Duarte
Assembleia STR Amarante20160318_101302-022