11:57 am - terça-feira novembro 21, 2017

Fetag quer criar com STR de Amarante ‘Coletivo Municipal de Mulheres Trabalhadoras Rurais’

Edição e postagem: Denison Duarte, em 04-05-2016 11:49 | Última modificação: 04-05-2016 19:29
Hospital de Olhos

A coordenadora da Secretaria de Mulheres, da Federação dos Trabalhadores em Agricultura (Fetag) do Piauí, Caçula, afirmou ao Somos Notícia neste final de semana que as políticas públicas em todo o estado têm avançado consideravelmente.

Ela cita como um dos exemplos a Marcha das Margaridas, realizada em 2015. “Somente do nosso estado levamos 20 ônibus”

O evento, considerado a maior mobilização das mulheres na América Latina, reuniu em Brasília ano passado mais de 70 mil trabalhadoras rurais, extrativistas, indígenas, quilombolas, cujo objetivo foi tão somente conversar com o governo sobre suas reivindicações.

A coordenadora fala também da importância dos avanços por meio dos sindicatos rurais, a exemplo de Amarante.

Secretaria de Mulheres e STR

“A gente tem visto como positiva em relação às mudanças é essa expectativa de que vamos fazer um bom trabalho para as mulheres no município de Amarante. O que a gente deseja é avançar na discussão de gênero no Sindicato de Amarante com a gestão da nossa presidenta Luíza Neta. Em breve estaremos em Amarante para criar o Coletivo Municipal de Mulheres Trabalhadoras Rurais.”, disse ela.

O que ainda representa um empecilho em parte dessas conquistas no Estado, segundo ela, é a burocracia que dificulta no acesso a programas como o Pronaf Mulher.

Outra barreira ainda a ser vencida na abertura dessas políticas públicas é o preconceito. “Hoje o preconceito contra a mulher é muito grande. A gente vai dar a volta por cima e dizer que o lugar de mulher é na sociedade, na política, e transformando a cada dia a política pública.”

Ao final da entrevista, a coordenadora se refere à importância da união da sociedade como elemento de grande valia para as conquistas. “A sociedade piauiense precisa estar unida para o fortalecimento das políticas públicas para as mulheres.”

Edição, fotos e postagem: Denison Duarte