9:24 pm - sábado outubro 21, 2017

Incêndio destrói salão de Umbanda em Amarante; ‘foi crime por intolerância religiosa’, diz membro

Edição e postagem: Denison Duarte, em 11-10-2017 18:07 | Última modificação: 12-10-2017 08:51
Incêndio destrói salão de Umbanda em Amarante; ‘foi crime por intolerância religiosa’, diz membro

Foto:Denison Duarte

Hospital de Olhos

Um incêndio destruiu um salão de Umbanda na rua José de Fonte, no bairro Escalvado, em Amarante, na manhã desta quarta-feira (11). As suspeitas, segundo informações de populares, apontam para um ato puramente criminoso.

As chamas consumiram rapidamente as palhas do teto e os caibros de madeira. Um cachorro que estava acorrentado no local morreu queimado.

“O incêndio foi muito rápido e não conseguimos deter o fogo. Ainda tentamos jogar água, mas não conseguimos impedir a destruição. Um cachorro nosso estava acorrentado no salão e não conseguimos salvá-lo. Ele sofreu muito antes de morrer”, disse a contra-chefe do salão, Clara Maria.

Os prejuízos não foram ainda calculados, segundo ela. O incêndio, reforçam os integrantes do salão, foi motivado pelo preconceito com a umbanda. “Eu acho que é puro preconceito, ou intolerância religiosa. A Umbanda é um patrimônio Cultural. O que existe é muita intolerância religiosa não só em Amarante, mas em todo o Brasil e terminam queimando salões”, completa Clara Maria fazendo alusão à prática criminosa existente em outros lugares no Brasil.

O caso está sendo investigado pela polícia. “Um policial do GPM de Amarante veio aqui, fez as fotos e disse que o caso vai ser investigado”.

Em entrevista ao Somos Notícia, o comandante Nepomuceno, do Grupamento de Polícia de Amarante (GPM), disse que o caso vai ser investigado. “Um dos nossos policiais foi ao local e nos informou que as evidências apontam para ocorrência criminosa. Não vamos dar maiores detalhes para não atrapalhar as investigações.”

De acordo com a Lei 7.716 – de 5 de janeiro de 1989, praticar atos de discriminação religiosa resulta em reclusão de 1 a 3 anos e multa.

“Art. 20. Praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional. (Redação dada pela Lei nº 9.459, de 15/05/97) Pena: reclusão de um a três anos e multa”

Salão de Umbanda destruído | O fogo se alastrou rapidamente