3:37 pm - sábado novembro 18, 2017

Projeto de Lei do novo piso salarial do Magistério de Amarante é aprovado em sessão extraordinária

Edição e postagem: Denison Duarte, em 28-01-2017 00:09 | Última modificação: 28-01-2017 13:15
Hospital de Olhos

Magistério com novo piso salarial – O presidente da Câmara de Vereadores de Amarante encerrou a sessão extraordinária desta sexta-feira (27) sob aplausos ao afirmar que o projeto de Lei de nº 01/2017, de autoria do prefeito Diego Teixeira, foi aprovado por unanimidade.

Os 11 vereadores decidiram pela confirmação do novo piso salarial dos profissionais do Magistério Público do município de Amarante, que passa a ser de R$ 2.298,83, correspondendo à jornada de 40h semanais.

“Para o bem comum nunca tivemos (os vereadores) e nem vamos ter problemas”, disse o presidente da Câmara, Juliano Ayres, referindo-se ao consenso que levou à unanimidade na votação em benefício da categoria.

Em entrevista ao Somos Notícia, ele afirmou: “Nós sempre fomos a favor da Educação, assim como da Saúde e tudo mais que venha beneficiar a nossa população”

A conquista representa para o vereador Ironilson Lima o resultado de uma luta que foi compreendida pela atual gestão sem ser preciso nenhuma forma de manifestação nas ruas.

“O poder executivo está de parabéns porque ao longo dos 8 anos de vigência da Lei 11.738, que criou o piso salarial do magistério, a categoria teve que ir para à luta para conquistar esse reajuste. Em Amarante o poder executivo saiu na frente por já instituir o piso a partir de janeiro sem necessidade de luta e nem de reivindicação de rua” disse ele.

A Câmara de Vereadores realizou a sessão em caráter extraordinário, iniciando com a discussão sobre o projeto. Não houve contradições. A votação foi rápida, segundo os vereadores, por despertar o interesse de uma categoria que vem há anos lutando por esse resultado.

A presidente do Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Amarante, Arisnede Veloso, considera que o momento é de agradecimento, tanto ao Executivo quanto ao Legislativo.

“Nesse momento, nós só temos a agradecer, mesmo sendo um direito adquirido. Todo governo que pensa na Educação não deixa de aprovar uma lei como esta. Agradecemos também aos vereadores porque a gente sabe também que, mesmo sendo lei, quando eles não querem não acontece”, disse a presidente.

Na ocasião da entrevista ao Somos Notícia ela assegurou que o desejo da entidade é que o executivo seja sensível aos apelos da Educação.

“Eu espero que essa nova gestão olhe com bons olhos quando houver algo relacionado à Educação. O Sindicato vai estar aqui, presente, cobrando como sempre cobrou. Vamos sempre lutar em busca de parcerias para trabalharmos juntos em harmonia e tratando todos os assuntos da Educação com a devida seriedade. Com essa conquista, posso afirmar que, se o professor tem um piso salarial, com certeza ele vai trabalhar melhor”, encerra.

Magistério com novo piso, uma luta de 8 anos