12:13 pm - domingo novembro 19, 2017

Por desespero, mãe amarra o filho esquizofrênico em Amarante e pede ajuda para construir quarto

Edição e postagem: Denison Duarte, em 19-06-2017 15:33 | Última modificação: 19-06-2017 20:15
Hospital de Olhos

JOVEM AMARRADO – Dona Raimunda Nonata, de 35 anos, e o esposo Antonio da Cruz, de 37 anos, vivem no bairro Alto Alegre, em Amarante, com cinco filhos. Um deles, Jackson Henrique, de 14 anos, sofre de esquizofrenia e de ataques epiléticos.

A mãe diz que o jovem tem o costume de sair de casa sem ser notado. Com isso, a família carrega consigo duas grandes preocupações: ele gosta de caminhar no meio da BR-343, o que representa um perigo de vida; e a agressividade dentro de casa.

“A gente vive preocupado o tempo todo. O Jackson quase provocou acidentes na BR. Ele pode morrer abalroado por um carro a qualquer momento. Não podemos deixar ele sair de casa, e quando está em casa só vive procurando facas para matar a família”, relatou a mãe ao dizer o jovem tem muita força e que tudo o que é objeto perfurocortante tem que ficar longe do alcance dele.

“Ele desaparece que ninguém vê. Na última semana, o Jackson passou dois dias e uma noite sem sabermos onde ele estava. Com muita dificuldade o encontramos”, disse o irmão Pedro Silva, de 18 anos.

O jovem amarrado | solução provisória

A solução inicial encontrada pela família foi amarrar Jackson até que seja realizado o que todos mais desejam: a construção de um quarto de uso exclusivo do jovem para que ele e a família permaneçam em segurança.

Jackson está com os pés amarrados e as mãos numa camisa de mangas longas desde a última quarta-feira (14). “Quando ele está agressivo, a gente amarra as pontas das mangas da camisa, ficando parecida com uma camisa de força, isso ajuda muito”, disse a mãe.

Um bingo beneficente será realizado no próximo dia 8, sábado, no trailer do DJ Tuta no Conjunto Sinhá Ayres, em Amarante. O objetivo da família é angariar fundos para a construção do cômodo.

A família pede a ajuda da população de Amarante para a construção do quarto. “Nós não temos outra solução, a não ser amarrar nosso filho até a construção do quarto porque, ficando solto, se ele não morrer de acidente, ele pode matar alguém dentro de casa. Por isso pedimos a ajuda das pessoas para que comprem as cartelas do bingo”, apela a mãe.

Dona Raimunda Nonata agradece à Secretaria Municipal de Saúde pela força que tem dado nos cuidados com Jackson. “A Secretaria de Saúde tem nos ajudado muito com acompanhamento médico e fornecimento de medicamento. Na hora que eles sabem que nosso menino saiu de casa, eles ajudam nas buscas sem dificuldades.”

O bingo beneficente à família de Jackson será de uma grade de cerveja, uma garrafa térmica e um jogo de copos, e está programado para as 19h.

Jovem amarrado nos pés | ao lado da mãe
jovem amarrado em amarante alto alegre esquizofrênico