9:15 pm - segunda-feira junho 26, 2017

Estudante de Amarante desaparece, mas deixa texto escrito na parede do quarto, no Alto Alegre

Edição e postagem: Denison Duarte, em 13-06-2017 13:59 | Última modificação: 13-06-2017 14:16
Hospital de Olhos

ESTUDANTE DO ALTO ALEGRE – Uma estudante do 7º ano, do colégio Antonio Castro, identificada como Gabriela Alves da Silva, 14, residente na rua Santa Rita, no bairro Alto Alegre, em Amarante, está desaparecida desde o último domingo (11), completando na tarde desta terça-feira, 48 horas do seu sumiço.

Em entrevista, a mãe da jovem, identificada como Maria Aparecida Alves Cardoso, 34, afirmou que a situação é de causar muita preocupação, pois, segundo ela, Gabriela não tinha o hábito de sair de casa, não usava WhatsApp, nem Facebook e, segundo a mãe, não tinha namorado.

“Fiz a comida e ela estava assistindo TV. Ela tem o costume de sair somente para a casa das colegas, mas voltava logo. No domingo, eu esperei e nada. Pedi os meninos para dar uma volta, mas não viram ela. A Gabriela não saía do bairro”

“As amigas dela são as meninas ‘daqui de perto’. Ela nunca tinha saído de casa e nem se queixava de nada”, disse a mãe.

Adentrando a residência, o SOMOS NOTÍCIA encontrou escrito na parede do quarto da jovem o seguinte texto: “Eu odeio esse lugar, eu odeio tudo isso. Eu vou guiar o caminho certo que eu tenho fé em Deus. Escute o seu coração e não o seu pensamento que Deus está lendo isso.”

Não alfabetizada, a mãe disse desconhecer o que Gabriela havia escrito na parede. “Ela escreveu isso na parede na semana passada. Eu só sei que ela gostava muito de ler vários livros e a bíblia também. Nossa vida sempre foi tranquila, nunca tivemos problemas, mas ela dizia que não gostava desse lugar.”

No último domingo, dia do sumiço, o tio materno da jovem, Nonato Alves Cardoso, encontrou em uma mata próxima à residência de Gabriela, uma bolsa contendo mudas de roupas, creme dental e dois números de telefones. A bolsa permaneceu no local. “A bolsa era dela e as roupas também”, confirmou a mãe. Dado o sumiço da jovem, a bolsa não foi mais localizada.

Por volta das 17h de domingo, Gabriela foi vista por um vizinho, conhecido como Nenzin, montando em uma moto. O condutor usava capacete e, segundo Nenzin, “parecia ser um homem de certa idade”.

“Eu a vi por volta das 17h nas proximidades da entrada da comunidade Tucano (na BR-343). Eu passei por ele(condutor) na BR, próximo à Santa Helena, em seguida ele passou por mim, foi quando vi a Gabriela montando na moto dele. Não conheci o homem porque ele estava com capacete”

“A Gabriela nunca reclamava de nada, e eu nunca soube dela com namorado. A moto do homem era uma 150, da Honda, de cor preta. O homem era de certa idade.”

O avô da jovem, Geraldo Alves Cardoso, disse que vê com muita tristeza o sumiço da neta. “Eu estava assistindo TV quando a vi no domingo. A Gabriela foi na casa dos tios dela e voltou para casa da mãe. Eu tô triste, com certeza, até porque eu nunca vi ela se queixando de nada e, de repente, ela sumiu!”, disse ele.

As buscas pela estudante do Alto Alegre

Um Boletim de Ocorrência foi registrado ontem na Delegacia de Amarante. O SOMOS NOTÍCIA foi informado que as investigações vão começar quando completar as 48 horas do desaparecimento da jovem estudante.

A família e familiares não suspeitam da possibilidade de sequestro porque, de acordo com Nenzin, “ela não foi forçada a subir na moto”. Quando pegou a moto, Gabriela foi vista caminhando  na BR-343, segundo o Boletim de Ocorrência, “com uma mochila, trajando uma bermuda branca e uma blusa branca com flores”.

Para informações que ajudem na localização da jovem estudante, ligar para 86 9 95311732 (Falar com o pai de Gabriela – Gonçalo da Silva)

Mãe da estudante do Alto Alegre, em entrevista (Fotos: Leomar Duarte, Denison Duarte e Pedro Silva)

estudante do alto alegre deaparecida Gabriela Alto Alegre

Foto: Pedro Silva

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE