3:11 pm - terça-feira novembro 22, 7831

Diretor do hospital de Amarante se pronuncia em sessão ordinária sobre atendimentos; ouça!

Edição e postagem: Denison Duarte, em 30-11-2015 10:14 | Última modificação: 01-12-2015 01:22
Hospital de Olhos

Durante 1 hora e 11 minutos o diretor do Hospital Regional Dr. Francisco Ayres Cavalcante, Luís Antonio, esteve no último sábado (28)na tribuna da Câmara Municipal no último sábado a convite dos vereadores.

Atendimento médico e falta de medicamentos, segundo os legisladores, estão entre as principais queixas apontadas pela população. Apesar do clima tenso, o diretor foi incisivo ao dizer que o hospital de Amarante dispõe de médicos durante sete dias na semana e que “o medicamento da Atenção Básica somente deve ser entregue pela Secretaria Municipal de Saúde”.

“Eu garanto a vocês que o hospital de Amarante é o único que tem médico durante sete dias na semana. Quase todos os dias nós recebemos ambulâncias dos municípios vizinhos porque eles não têm médicos, e nós não vamos deixar de atender”, afirmou o diretor ao dizer que não entende a situação se os hospitais vizinhos recebem o mesmo recurso.

José Pereira, vereador pelo PT, afirmou que a situação de Amarante não é diferente dos demais municípios do Brasil, e que o diretor do hospital vem fazendo um trabalho de “gigante” em meio à falta de recursos. “A nossa intenção, Dr. Luís, sempre foi de querer ajudar para que o trabalho do hospital esteja à altura. Vejo que o hospital tem melhorado muito, agora, talvez não esteja bom, mas nós queremos que seja esclarecido sobre o que falta para realmente melhorar o nosso hospital.”

Quanto à entrega de medicamentos, o vereador Diego Teixeira sugeriu a capacitação de um profissional de Saúde para um intercâmbio entre Secretaria de Saúde e Hospital. “É uma questão cultural”, disse ele. “Quando sinto uma dor, não vou à Secretaria, e sim ao Hospital. O que a gente está querendo é minimizar esses comentários de que o hospital está sem medicamentos e sem médicos. Portanto, é importante esse intercâmbio para que a Secretaria possa ter uma pessoa para esse atendimento”, conclui.

O presidente da Câmara, Aldeci Azevedo, considera que somente unindo as forças entre as instituições, e com a participação do Legislativo Municipal, a situação pode ser amenizada. “Nós nos colocamos à sua disposição para somarmos nossas forças. O que precisamos é encontrar a solução para diminuir o sofrimento do nosso povo.”

A vereadora Mylana Vilarinho requereu via ofício a apresentação da relação de servidores contratados e efetivos com respectivos salários, a relação de licitação, planilhas de despesas mensais, planilha da receita do Sistema Único de Saúde (SUS) e tesouro estadual e também dados da produção ambulatorial e hospitalar.

O prazo para a apresentação das informações solicitadas pela vereadora é de 15 dias, quando acontecerá  a próxima assembleia na Câmara Municipal.


Edição, postagem, fotos e áudio: Denison Duarte

9dc146c7-b582-4232-8782-0a82edd699fd

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE