8:58 pm - terça-feira novembro 21, 2017

Comissão investiga nome de eleitor falecido em lista de votantes em eleições do STR de Amarante

Edição e postagem: Denison Duarte, em 20-02-2016 12:47 | Última modificação: 21-02-2016 00:31
Hospital de Olhos

Comissão em ação – Dentre os sócios aptos a votar nas eleições do Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR), de Amarante, neste domingo(21), está o nome de um falecido identificado como Francisco Alves da Silva.

O nome foi enviado à Comissão Eleitoral em uma relação de votantes emitida pela tesouraria, representada pelo vereador do PT José Pereira.

A ocorrência está sendo investigada pela Comissão Eleitoral, responsável pela organização do pleito da entidade. “O caso é mais sério do que se imagina. Estamos investigando para saber a procedência desse ocorrido”, afirmou a membra da Comissão, Neumária Cordeiro.

O sócio, falecido em 2010, segundo a ficha de identificação do STR, é natural da comunidade Ponta da Serra, zona rural de Amarante. Segundo informações da ficha ele era filiado à entidade desde 1988 sob o número de inscrição de 126.

De acordo com o secretário geral do STR, Leomar Duarte, o sócio tinha residência estabelecida na comunidade Pintadas.

O atestado de óbito de Francisco da Silva indica que o falecimento aconteceu em 6 de junho de 2010.

Francisco Alves da Silva era casado com a senhora Dimar da Silva, deixando com ela oito filhos.

Questionada pelo Somos Notícia, uma das filhas do agricultor, Francisdalva da Silva, 36, afirma que vai acionar a justiça pelo uso indevido do nome do seu pai. “Nós vamos procurar nossos direitos. O nome do meu pai não devia estar nessa lista! Isso vai prejudicar minha mãe. Nós vamos procurar a Justiça!”

O tesoureiro José Pereira apresentou um sócio à Comissão, cuja identificação está sendo investigada pela Comissão e pela assessoria jurídica da Chapa 02.

Segundo a candidata da Chapa 02, Luíza Neta, a intenção da tesouraria é uma tentativa de manobra nos resultados das eleições. “Da mesma forma como eles sempre fazem, usando indevidamente o nome de pessoas para conseguir votos, eles queriam fazer desta vez. Vamos acompanhar essa investigação e dar o nosso suporte à família para que a viúva não saia prejudicada.”

Como alternativa, os membros da Chapa 02 formalizaram junto à Comissão um pedido por meio de requerimento informando a procedência do nome na lista de votantes.

Outro fator analisado no processo de investigação é que se o sócio estivesse vivo, não deveria estar na folha de votação com atraso de seis anos nas mensalidades junto à entidade.

Comissão investiga informações do trabalhador abaixo

foto

fichafoto

fichafoto2

fichafoto3

Edição e postagem: Denison Duarte

 

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE