8:55 pm - terça-feira novembro 21, 2017

Em Amarante, consultora realiza capacitação para profissionais da Secretaria de Assistência Social

Edição e postagem: Denison Duarte, em 11-01-2017 19:29 | Última modificação: 11-01-2017 19:36
Hospital de Olhos

A equipe de servidores da Secretaria Municipal de Assistência Social de Amarante participou de uma capacitação na manhã desta quarta-feira (11) na sede do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS).

A conversa foi conduzida pela assistente social e consultora técnica da Prefeitura de Amarante, Iraneide Cristina Viana.

Assuntos como recadastramento, busca ativa, recursos, dinâmicas de atendimento ao público, dentre outros, foram amplamente discutidos durante a capacitação.

A secretária de Assistência Social, Ana Tércia, iniciou a reunião às 9h. Com otimismo, ela fala sobre o sucesso do trabalho que será desenvolvido por sua equipe.

“Eu tenho certeza de que esse trabalho vai ser bem desenvolvido porque eu sei da força de vontade desse público que está aqui. Eu espero que todas as pessoas que precisarem de nós sejam acolhidas e muito bem recebidas no nosso ambiente de trabalho”, afirmou a secretária.

Empenho e união no trabalho foi o que ela colocou como essencial para que os resultados sejam positivos.

“Espero empenho, como também darei o máximo de mim à missão que me foi confiada. Quero também a união da nossa equipe. Sabemos que o começo vai ser difícil, pois não encontramos na secretaria nenhum documento, nenhuma informação”, reforça.

A dificuldade foi apontada pela consultora como provocada também pela escassez de recursos e pela fase de adaptação dos profissionais aos trabalhos.

“Geralmente existe renovação na equipe com profissionais que, mesmo tendo experiência na sua área, têm dificuldade com o conhecimento da realidade do município. Por esta razão é importante essa conversa, para que haja a integração da equipe. Esse primeiro momento é fundamental para que o desenrolar do trabalho seja posteriormente exitoso para a população e para a gestão”, disse a consultora.

Segundo ela, o funcionamento adequado da Secretaria geralmente leva dois ou três meses por causa da crise econômica do país. Nesse período, ela considera ainda que cabe observar como irão se comportar os recursos federais.

“Essa fase de adaptação exige um período de três meses para que se possa ter um padrão organizativo melhor sem que o município venha sofrer sanções. O cenário de dificuldade ocasionada pela escassez de recursos requer, segundo os Tribunais de Conta, certa cautela do gestor na definição do que é essencial, agregando profissionais necessários ao serviço para que os resultados sejam positivos”, concluiu.

Ana Tércia considerou que o prazo para o equilíbrio das ações sociais é o mês de junho. Ela diz que, até lá, paciência será o elemento mais importante.

“Esse primeiro contato foi para que nos conhecêssemos como equipe. Nos próximo dias teremos um treinamento, onde iremos pontuar as estratégias para conseguirmos o nosso objetivo. Nós recebemos a Secretaria sem recursos e com pendências financeiras junto a alguns servidores, mas nós iremos resolver. Nós vamos tentar começar os trabalhos com o que temos. Peço apenas um pouco de paciência aos servidores, pois até março estaremos com os grupos formados e boa parte dos projetos e programas funcionando”, encerra.

 

Capacitação dos profissionais do CRAS | Fotos: Denison Duarte

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE