4:56 am - domingo novembro 19, 2017

Amarante, 144 anos: ‘Era uma vez, um pequeno aldeamento que tinha 434 índios Guegueses e…’

Edição e postagem: Denison Duarte, em 03-08-2015 16:25 | Última modificação: 04-08-2015 14:51
Hospital de Olhos

…Acaroás, fundado pelo 2º Governador da Província do Piauí Gonçalo Lourenço Botelho de Castro em 1771 / 1772 perto das nascentes do riacho mulato, no lugar onde hoje é a cidade de Regeneração, dando a essa “missão” o nome de São Gonçalo de Amarante, em homenagem ao santo de seu nome.

Com opressão, massacres impiedosos e conflitos entre indígenas e colonizador tendo à frente o sanguinário Cel. João Rego, uma das figuras mais sinistras da “conquista” do Piauí que conseguiu “a ferro e fogo” manter uma relativa paz e por volta de 1789, a aldeia já era um povoado tendo ao centro uma capela para impor com força brutal o catolicismo.

Pela Provisão Regia de 07 de setembro de 1801, foi criado o distrito e depois a freguesia, por provisão do Bispo Diocesano, D. Luis de Brito Homem, de 12 de julho de 1805 e instalada em 1806, tendo como orago, São Gonçalo de Amarante.

O município cujo território foi desmembrado de Jerumenha e Valença, criou-se pelo Decreto de 06 de julho de 1832, sendo instalado em 10 de novembro de 1833, com o nome de São Gonçalo.

Pouco a pouco às margens do rio Parnaíba, entre a barra do riacho Mulato e do rio Canindé, foi formando um pequeno povoado, que passaram a chamar de “Porto de São Gonçalo” por ser o lugar em que as barcas, botes e canoas aportavam, trazendo mercadorias (algodão, babaçu, couro, peles, etc.), que eram transportadas para a vila de São Gonçalo em lombos de animais distante do porto 22 quilômetros.

Em 16 de julho de 1861, a vila de São Gonçalo e sede de sua Freguesia, obedecendo à Resolução nº 506, de 16 de agosto de 1860, foi transferida para o Porto que passou a se chamar Vila de São Gonçalo ou São Gonçalo de Amarante e o lugar do aldeamento, hoje Regeneração, foi reduzido a uma povoação que ficaria conhecido como São Gonçalo Velho.

A vila, que foi transferida para a margem do rio Parnaíba cresceu rapidamente em decorrência da navegação a vapor para o estabelecimento de seu comércio de importação e exportação e transforma em grande empório comercial do centro-sul do Estado.

Pela Resolução Provincial nº 734, de 04 de agosto de 1871, a vila ou Porto de São Gonçalo, teve, sua elevação à categoria de cidade com o nome de Amarante em homenagem à cidade portuguesa.

Amarante passaria a ostentar assim condição de entreposto comercial em região estratégica do Estado.
Amarante berço do grande Poeta “Da Costa e Silva”, celeiro de reservas Culturais como: Clóvis Moura, Cunha e Silva, Odilon Nunes, Antonino Freire e Coronel Chico Lira.

A arte e a cultura revelam-se em manifestações de danças Folclóricas, como Bumba-meu-Boi, Cavalo Piancó, Pagode, Danças Portuguesas e Sarrupiá do Sertão.

No apogeu do desenvolvimento Comercial Amarante edificou um importante conjunto arquitetônico de herança portuguesa, no período colonial. Catalogado 72 imóveis da categoria civil e quatro da categoria oficial constituindo assim um dos maiores legados do Piauí que orgulham o povo amarantino.

O Quilombo Mimbó, Comunidade remanescentes de negros fugitivos, uma das preciosidades da cultura afro-brasileira com manifestações culturais e religiosas trazidas pelos escravos.

Progresso e desenvolvimento comercial, para o que muito contribuiu o rio Parnaíba, como veículo de comunicação, fez com que, em 1871, a Vila fosse elevada à categoria de Cidade, com o topônimo de Amarante.

Formação Administrativa
Distrito criado com a denominação de São Gonçalo, pela previsão Régia de 07-09-1801, subordinado ao município de Jerumenha e Valença.

Elevado à categoria de Vila com o denominação de São Gonçalo, pelo decreto de 06-07-1832, desmembra dos municípios de Jerumenha e Valença. Sede na vila de São Gonçalo. Constituído do distrito sede. Instalado em 10-11-1832.

Elevado à condição de cidade com a denominação de Amarante, pela Resolução provincial nº 734, de 04-08-1871.
Pela lei provincial nº 751, de 26-08-1871, é criado o distrito de Regeneração e anexado ao município de Amarante.

Pela lei provincial nº 896, de 23-07-1875, desmembra do município de Amarante o distrito de Regeneração. Elevado à categoria de município.
Pela lei estadual nº 35, de 26-06-1894, desmembra do município de Amarante o distrito Belém.

Elevado à categoria de município. Sob a mesma é criado o distrito.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município é constituído do distrito sede.
Pelo decreto estadual nº 1279, de 26-06-1931, o município de Amarante adquiriu os extintos o município de Belém e Regeneração.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município é constituído de 3 distritos: Amarante, Belém e Regeneração.

Pelo decreto estadual nº 1478, de 04-09-1933, desmembra do município de Amarante o distrito de Belém, sendo seu território anexado ao muincípio de São Pedro.

Pelo decreto estadual nº 1519, de 15-02-1934, desmembra do município de Amarante o distrito de Regeneração. Elevado novamente à categoria de município.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído do distrito sede.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2005.

Alteração toponímica municipal
São Gonçalo para Amarante alterado, pela resolução provincial nº 734, de 04-08-1871.
Gentílico: amarantino

Fonte: IBGE e Fundac

casa-odilon

casa-de-odilon-nunes-2

thumbs

abdc3a3o-armindo-mourc3a3o

casa-americo-castro

residencia-jr-silva1

IMG-20150421-WA0011

amarantecasa-americo-castro

amarantecasa-sindicato-21

amaranteresidencia-jr-silva1

amarantecasa-do-sindicato1

amarantelkflknPI10193

amaranteresidencia-gonc3a7alvez-ribeiro

amaranteo034

amarantefarmacia-do-povo1

amarante2casa-odilon-nunes1

amarantecasa-odilon-nunes-21

amarantecc3b3pia-3-de-amarante-antiga-006

amarante2770560 (1)

amarante00oeijron

amarantecasa-de-odilon-nunes-2

amarantecasa-odilon-nunes1

amarantemercado-publico1

2770560