5:49 pm - terça-feira julho 25, 2017

Morre, aos 72 anos, o cantor e sanfoneiro Dominguinhos

Edição e postagem: Denison Duarte, em 23-07-2013 19:56 | Última modificação: 02-08-2013 22:44
Hospital de Olhos

O cantor, sanfoneiro e compositor José Domingos de Moraes, o famoso Dominguinhos, um dos maiores representantes do legado deixado pelo rei do baião, Luiz Gonzaga, morreu aos 72 anos, nesta terça-feira (23), no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Ele morreu às 18h, devido a complicações infecciosas e cardíacas no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, informou a unidade de saúde por meio de nota de falecimento.

Ele estava internado neste hospital desde o último dia 13 de janeiro. Nascido em Garanhuns, no dia 12 de fevereiro de 1941, José Domingos de Morais, famoso como Dominguinhos, alcançou grande reconhecido em todo mundo, como grande instrumentista, cantor e compositor.

Em 1950, aos nove anos de idade, conheceu Luiz Gonzaga quando tocava na porta do hotel em que este estava hospedado. Luiz Gonzaga se impressionou com a desenvoltura do menino e o convidou a ir ao Rio de Janeiro. O que o menino fez com toda família. Ao encontrar-se com o rei do baião no Rio, Gonzagão lhe deu de presente uma sanfona e o integrou à sua equipe de músicos. Dominguinhos passou a fazer shows pelo Brasil e participar de gravações.

Exímio sanfoneiro, o autor de grandes sucessos como a linda canção ‘Lamento Sertanejo’ (Dominguinhos/Gilberto Gil), teve como mestres nomes como Luiz Gonzaga e Orlando Silveira. Em sua formação musical Dominguinhos teve influências de baião, bossa nova, choro, forró, xote e jazz.

Em sua discografia, que contou com diversas participações da sua ex-mulher, a cantora Anastácia, com mais de 40 títulos lançados, estão discos gravados desde a década de 60 (o primeiro foi Fim de Festa – 1964) até os anos 2000 (o último foi o belíssimo Yamandu + Dominguinhos de 2008).


Para mais informações, clique aqui!

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE