11:35 am - segunda-feira novembro 20, 2017

Igreja católica dedica dia de orações pela paz em São Luís

Edição e postagem: Denison Duarte, em 11-01-2014 21:41 | Última modificação: 11-01-2014 21:45
Igreja católica dedica dia de orações pela paz em São Luís

Hospital de Olhos

Neste domingo haverá missa de sétimo dia em memória de Ana Clara.
Arcebispo da capital criticou situação carcerária no Estado.

No dia em que será celebrada a missa de sétimo dia em memória da menina Ana Clara, morta após ataques a ônibus em São Luís, a igreja católica vai dedicar todo o domingo (12) para que sejam realizadas orações pela paz na cidade e pelas vítimas dos atentados.

“Todas as igrejas rezarão por intenção da menina de seis anos, a Ana Clara, que veio a falecer por causa da violência, que teve seu início nos presídios e passaram a incendiar ônibus. Então nós vamos aproveitar esta oportunidade de grande sensibilidade popular para rezar pedindo a Deus a paz social. Eu tenho a impressão que a população realmente está muito motivada para que coisas importantes possam acontecer”, afirmou o arcebispo de São Luís, Dom José Belisário da Silva.

Para o religioso, serão necessárias profundas mudanças no sistema carcerário maranhense para que a situação seja revertida. “Com respeito às prisões de São Luís, parece que pode haver uma intervenção federal para que se tomem algumas decisões. O importante é não ter apenas medidas imediatas, que são necessárias sem dúvida alguma, mas medidas de ordem profunda, estruturais”, criticou.

Ana Clara morreu no último dia 6, três dias após ônibus serem incendiados na Vila Sarney, na Avenida Kennedy, no bairro João Paulo e na Avenida Ferreira Gullar. Ela teve mais de 90% de seu corpo queimado devido ao ataque. A mãe, Juliane Carvalho Santos, e sua irmã, também ficaram feridas. Em estado grave, mas estável, Juliana foi transferida do Maranhão para tratamento em Brasília-DF. A irmã de Ana Clara, Lorane Beatriz, de 1 ano e meio, está internada em um hospital infantil na capital maranhense e não corre risco de morte.

Outro paciente em estado grave, mas também estável, Márcio Ronny da Cruz, teve queimaduras em 72% do corpo. Ele foi transferido para o Hospital Geral de Goiânia, considerado referência no tratamento de queimados no país. Em tratamento em São Luís, a quinta vítima do ataque ao ônibus, Abyancy Silva Santos, que teve 10% do corpo queimado, não corre risco de vida e pode receber alta na terça-feira (14).

Fonte: G1