3:38 am - quarta-feira julho 26, 2017

Entidades ameaçam entrar na Justiça contra mudanças em curso de Medicina

Edição e postagem: Denison Duarte, em 08-07-2013 22:55 | Última modificação: 08-07-2013 22:55
Hospital de Olhos

As principais entidades médicas reagiram com críticas às medidas anunciadas pelo governo e prometem ir à Justiça para tentar reverter as mudanças propostas para os cursos de Medicina. Em carta conjunta, representantes de classe questionaram aspectos técnicos e legais das ações do governo. Nas falhas apontadas está o fato de que a ampliação do tempo de formação favoreceria a exploração de mão de obra, com contratos trabalhistas precários.

“As medidas são paliativas, midiáticas e eleitoreiras”, acusa Roberto d’Avila, presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM). “Já estamos com nosso jurídico trabalhando para ver quais são as ilegalidades e inconstitucionalidades. Mas antes vamos esperar que a casa do povo, o Congresso, possa corrigir estes erros.” Entre as principais críticas às estratégias anunciadas do governo está a falta de condições adequadas e de um plano de carreira estruturado para ajudar os profissionais a se fixar no interior. “Países sérios também dão as condições estruturais para o trabalho e dão carreira. Países autoritários obrigam as pessoas”, diz o presidente do CFM. “O que vai atrair (os profissionais para o interior) é uma versão mais definitiva. Ninguém aguenta mais bolsa.”

Para maiores informações, clique aqui!

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE